Marketing Digital, o usuário precisa ser seu foco

Esta afirmação parece óbvia, mas muitas vezes o marketing digital fica focado apenas no produto. Este é um dos maiores problemas, pois quando se foca apenas no produto, o usuário não é prioridade e acaba não sendo convertido ou engajado. E marca sem usuários engajados, não vende tanto e é mais facilmente engolida pela concorrência. Um exemplo clássico disso são as empresas que insistem em entupir as caixas de entrada dos e-mails dos clientes com “promoções” ou então que usam as redes sociais de maneira indiscriminada, sem se preocupar com o que as pessoas irão achar.

Quando se entende que o foco principal do marketing digital precisa ser o usuário, muita coisa muda. Muitas pessoas confundem marketing digital, que tem como tarefa fixar a marca, torná-la mais conhecida e bem vista e aumentar o engajamento e conversão dos usuários, melhorar a imagem e melhorar o relacionamento com o cliente, com a publicidade, feita pela internet. Estas duas modalidades se complementam, mas tem objetivos diferentes. A publicidade tem como principal foco chamar a atenção e despertar a vontade da compra de um produto ou serviço.
Desta forma, o marketing digital precisa estar paralelo a todos os processo da empresa, desde a questão das vendas como a publicidade. Porém para ter o foco no usuário, você precisa definir quem são as pessoas que você quer atingir, que você quer converter. Imagine que você queira vender brinquedos ou produtos de linha infantil e a grande maioria das pessoas que visualizem suas ações ou sejam de fato atingidas sejam adolescentes ou jovens sem filhos. Quais as chances de você ter sucesso nas ações de marketing digital? Provavelmente nenhuma, não é?
Por isso, antes mesmo de focar no usuário, você precisa definir quem são as pessoas que você quer atingir. É o conhecido público-alvo. Para algumas empresas este público é muito bem definido e é facilmente enquadrado nas estratégias de marketing digital. Porém algumas empresas, que tem produtos mais generalistas, tem dificuldades em traçar estas estratégias. Na grande maioria dos casos, a solução para isso é montar mais de uma estratégia, ou ter vários enfoques. Para ter ajudar a definir quem é de fato seu público-alvo, veja este breve resumo sobre as gerações.

1. Baby Boomers: é a geração das pessoas nascidas nas décadas de 50 e 60. É a chamada geração da TV. Esta geração veio ao mundo num pós guerra, quando o mundo estava começando a se reconstruir e vivia sobre duas realidades bastante diferentes, o comunismo e o capitalismo. Estas pessoas geralmente são contidas nas compras, não gostam muito de fazer dívidas, tem apego por certas marcas e evitam arriscar no quesito financeiro. Estas pessoas nem sempre usam a internet, mas mesmo assim quem tiver este tipo de cliente em seu público-alvo, precisa de uma estratégia de marketing digital bem específica. Este público precisa de algo que remeta segurança, sobriedade e tradicionalidade.
2. Geração X: é a geração das pessoas que nasceram entre as décadas de 60 e 70. é a geração que acompanhou o nascimento da internet. Essa geração já teve de uma maneira mais geral acesso a informação, seja via TV, seja via internet na sua juventude. Foi a geração da ruptura, seja de desmandos religiosos, de crenças infundadas ou de crença cega nos governantes. É conhecida por sua criticidade. Esta geração, no Brasil, foi uma das principais responsáveis pela queda da ditadura. Uma estratégia de marketing digital para esta geração deve estar veiculada a questões gerais de convivência, pois eles foram a primeira geração a ter preocupações com o bem estar do mundo. Além disso, seu apego por marcas é menor do que a geração anterior e sua criticidade é maior, por isso a qualidade é fundamental.
3. Geração Y: é a geração dos nascidos nas décadas de 80 e 90 e são a primeira geração tecnológica em essência. Principalmente no Brasil, estas pessoas nasceram num país mais establizando e com crescimento considerável. É a geração que experimentou desde cedo as tecnologias. São usuários muito ativos de redes sociais e internet em geral, tem grande apego ao imediatismo, as multitarefas, que é empreendedora, flexível e que aceita bem as diferenças. Tradicionalismo e sobriedade nem sempre são bem recebidos em estratégias de marketing digital por pessoas desta geração. Criatividade, humor e sagacidade devem estra presente em todas as estratégias de marketing digital que tenham este tipo de consumidor como foco.
4. Geração Z: é a geração da tecnologia. A grande maioria das pessoas desta geração aprendeu rapidamente a lidar com aparelhos como celulares, videogames, DVDs, computadores e outros. São sedentos por novidades, seguem o que está na moda, buscam sempre humor, inteligência e inovação. É a geração que mais utiliza redes sociais e internet em geral. Compram com frequência pela internet e tem bastante apelo pela questão da popularidade. Junto com a geração Y, é a que mais sofre influência do marketing digital, por sua conectividade praticamente 24 horas por dia. Estratégias de marketing digital tradicionais, sem apelo a criatividade e a inovação não fazem sucesso neste tipo de público.

Sabendo qual o seu público-alvo e em que geração ele se enquadra, fica muito mais fácil acertar as estratégias, pois elas ficam muito mais específicas.


<< voltar