O poder das redes sociais.

Nos últimos dias, nosso país vivencia uma experiência de comunicação única, que tem as redes sociais como mecanismo de mobilização popular.

É preciso entender que as redes sociais se transformaram em poderosas ferramentas; Facilitando e viabilizando a circulação e propagação das informações. Hoje, comprovadamente, poderosas engrenagens movidas pela vontade comum que imprimiram suas forças na história, pois foram capazes de mobilizar uma nação.

No mundo corporativo, é bastante comum a rejeição pelo uso das redes sociais, com o argumento de que sua mensagem ou experiência de marca não foi propagada em tentativas anteriores e que, portanto, ela não funciona.

A mobilização de um país é prova incontestável de que as redes sociais funcionam sim. No entanto a mágica é justamente a propagação daquilo que os usuários realmente querem e se engajam. Ao contrário das mídias offline tradicionais, que conseguem sugerir comportamentos e formar opiniões, as redes sociais servem apenas para manifestar desejos já existentes. Se a sua marca não acontece nas redes sociais, é bem provável que não aconteça de forma alguma. Os produtos e marcas com muitos fãs e engajamento são aquelas que já possuem admiração offline, e o sucesso na rede é mera manifestação dessa experiência existente.

É ingenuidade pensar que as pessoas vão propagar mensagens e ideias que não gostam somente porque você montou uma boa peça, com os fundamentos lógicos de propagação. A mensagem publicitária pode usar a melhor técnica de venda ou de compartilhamento, se o conteúdo não faz farte do usuário e não disser a verdade dele, não haverá engajamento.

O sucesso de uma ação de marketing nas redes sociais acontece quando a essência da ferramenta é respeitada. “O que é bom pra mim, o que funciona e o que diz a minha verdade, eu desejo dividir com as outras pessoas”. Se sua marca ou produto se enquadra nesse pensamento, as redes sociais vão ajudar muito à propagá-lo. Caso contrário, continuará empoeirado na prateleira, independente das ações.


<< voltar